domingo , 3 de julho de 2022

Escola de gestão compartilhada em Sobradinho se destaca no futsal

O time do Colégio Cívico-Militar CED 3 foi campeão dos Jogos Regionais Escolares da região administrativa. A competição contou com 10 escolas públicas e privadas

Bons de estudo e bons de bola. Assim são definidos os estudantes do Colégio Cívico-Militar (CCMDF) Centro Educacional (CED) 3 de Sobradinho. Só neste ano, a escola foi a campeã em aprovação na Universidade de Brasília (UnB) entre as instituições de gestão compartilhada, com 15 alunos admitidos, e também no futebol de salão dos Jogos Regionais Escolares de Sobradinho, quando disputou o título com mais nove escolas públicas e privadas da região administrativa.

O time vitorioso nos Jogos Regionais Escolares de Sobradinho foi formado por 15 alunos do ensino médio entre 15 e 17 anos | Foto: Divulgação/PMDF

“Essa é a escola cívico-militar que mais aprovou jovens na UnB diretamente, foram os primeiros colocados no Enem e agora são campeões do futebol de salão. Um resultado está vinculado ao outro. Essa escola é um exemplo de que a gestão compartilhada melhora os indicadores de qualidade de educação”, afirma o subsecretário das Escolas de Gestão Compartilhada, coronel Alexandre Ferro.

Com cerca de 1,7 mil alunos, o centro educacional atende estudantes do ensino fundamental ao médio. O time vitorioso foi formado por 15 alunos do ensino médio entre 15 e 17 anos. Alguns deles já haviam jogado juntos em campeonatos e outros foram incorporados ao grupo para participar da competição. Eles foram treinados pelo professor Cleiton Batista.

O capitão do time, o jovem Eduardo Costa, 17 anos, aluno do 3º ano do ensino médio, conta que foi o professor que organizou os estudantes para participarem do torneio. “Quando ele soube da oportunidade, entrou em contato com a gente para montarmos o time com quem realmente quisesse jogar e estivesse disposto a treinar e se comprometer com o futsal”, explica.

Na escola desde o 6º ano, Eduardo quis participar na hora. “Sempre venho participando dos campeonatos. Já ganhei alguns na escola. Mas esse foi o mais bacana. Foi um ano diferente. Realmente contamos com a torcida dos policiais [militares, que participam da gestão compartilhada da escola na parte disciplinar] e do pessoal da direção. Todo mundo abraçou e acompanhou do início ao fim”, lembra.

Eduardo Costa, aluno do 3º ano, capitão do time: “Já ganhei alguns campeonatos na escola. Mas esse foi o mais bacana” | Foto: Renato Araújo/Agência Brasília

“Os meninos treinavam após a aula. O comprometimento desses meninos e do professor movimentou a escola. Trabalhamos muito aqui o esporte junto com o pedagógico”, conta o supervisor pedagógico, Clenilson Cortez. Agora, o time está apto para participar das competições distrital e nacional.

Disciplina, respeito e ordem

Para o capitão do time, a experiência da gestão compartilhada teve impacto na importância da conquista deste ano. “Tudo que somos ensinados aqui colocamos em campo. A gente vê isso nos mínimos detalhes, seja respeitando a execução do hino nacional, seja mantendo o respeito com o adversário”, completa Eduardo Costa.

É o que também acredita o diretor do CED 3 de Sobradinho, Geraldo Calado. “A prática do esporte caminha passo a passo com a ordem e com a disciplina, que são coisas que os colégios cívicos-militares ensinam. Esse é o nosso diferencial”, acredita.

Um dos integrantes da equipe disciplinar da escola, o primeiro-sargento Colzani diz que tem sido muito gratificante para os militares verem os alunos crescendo com a experiência da gestão compartilhada. “Lidamos com a questão disciplinar, mas também temos identificado problemas dos alunos dentro de casa. Eles trazem as situações e tentamos coordenar”, conta.

“No caso do campeonato, também acredito que ajudamos. Eles nos enxergam como exemplo de disciplina e de ordem, e o esporte coletivo tem que ter respeito mútuo entre os atletas. Foi essa resposta que eles deram em campo”, declara o militar.

Subsecretário das Escolas de Gestão Compartilhada, coronel Alexandre Ferro: escola é exemplo de que gestão compartilhada melhora indicadores de qualidade de educação

Mais exemplos

Outras escolas cívico-militares também se destacaram neste ano em competições esportivas. O Centro Educacional 308 do Recanto das Emas foi campeão de futsal feminino. Os centros educacionais 1 da Estrutural, 7 de Ceilândia e 1 do Itapoã tiveram resultados aparecendo em boas colocações nas competições escolares regionais em modalidades distintas.

O incentivo ao esporte integra o trabalho da Secretaria de Segurança Pública (SSP) em parceria com a Secretaria de Educação (SEE) na gestão compartilhada. O projeto em questão foi batizado de Escola de Campeões, em que a SSP cede às escolas materiais esportivos para prática de modalidades como futebol, vôlei e basquete.

O Distrito Federal conta com 15 escolas de gestão compartilhada. Existem dois modelos em execução: um se trata de uma parceria entre SSP e SEE, com participação do efetivo da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros; e o outro é uma parceria do Ministério da Educação e das Forças Armadas.

A gestão compartilhada é oferecida para escolas nas áreas de vulnerabilidade. São ofertadas atividades extracurriculares e ações disciplinares voltadas à formação cívica, moral e ética para o bem-estar social, como prevê a Portaria Conjunta nº 22, de 28 de outubro de 2020, que atualiza a anterior, de 12 de setembro de 2019.

Adriana Izel, da Agência Brasília

CONTATO
ANTENADOS@ANTENADOS.COM.BR

(61) 98649-0522