sexta-feira , 24 de junho de 2022

CLDF Aprova, Em 1º Turno, Projeto De Modernização Da Carreira De Assistência À Saúde

O presidente da Casa, deputado Rafael Prudente (MDB) acompanhou os colegas e afirma que o PL resolve “parte da situação” e manifestou apoio para a construção de um projeto que abarque os demais categorias

O presidente da Casa, deputado Rafael Prudente (MDB) acompanhou os colegas e afirma que o PL resolve

Foto: Reprodução/TV Web CLDF

Demanda dos servidores da Assistência Pública à Saúde, a reorganização da carreira avançou na Câmara Legislativa nesta terça-feira (22). O PL nº 1.735/21, que trata da matéria, passou no final da manhã pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e chegou ao plenário nesta tarde, quando foi aprovado em primeiro turno com o voto de todos os 17 deputados presentes. Durante a transmissão da sessão, no canal do YouTube da TV Web CLDF, servidores enviaram centenas de mensagens pelo chat defendendo a proposta como forma de valorização.

O projeto, de iniciativa do Executivo, desmembra e reorganiza a atual carreira de Assistência Pública à Saúde, criando a carreira Gestão e Assistência Pública à Saúde – com os cargos de Analista em Gestão e Assistência Pública à Saúde; Assistente em Gestão; Assistência Pública à Saúde; e de Técnico em Gestão e Assistência Pública à Saúde.

Para o relator da proposta na Comissão de Educação, Saúde e Cultura (Cesc), deputado Delmasso (Republicanos), o projeto representa um “sonho de anos que está virando realidade” e uma forma de “justiça” aos servidores da carreira.

Diversos parlamentares também elogiaram a importância da reorganização dos cargos de Assistência à Saúde, mas lamentaram a exclusão de outras carreiras da pasta. “O erro está em não ter feito uma discussão mais abrangente, para que outras categorias fossem contempladas”, apontou Arlete Sampaio (PT), após destacar a impossibilidade de incluir outras carreiras no PL enviado pelo Buriti. “É preciso um novo projeto do governo para corrigir as injustiças que ainda restam”, completou.

Discursos semelhantes foram feitos por outros, como o deputado Jorge Vianna (Podemos), que lamentou que apenas o SindSaúde tenha sido ouvido na elaboração da proposta, deixando de fora categorias como os técnicos de radiologia, de laboratório e o Samu. “O governo deveria ouvir todos os sindicatos. Fico feliz com as melhorias, mas precisamos resolver a vida dos demais”, disse.

O deputado Leandro Grass (Rede) defendeu que os debates sobre carreiras e remunerações devem acontecer de forma “sistêmica e ampla”, para evitar insatisfações de alguns segmentos. “Todas as carreiras da Saúde são importantes. É preciso assegurar isonomia e valorização completa e, não, fatiada”, observou.

O presidente da Casa, deputado Rafael Prudente (MDB) acompanhou os colegas: “O projeto resolve parte da situação. Deixo claro meu apoio para a construção de um projeto que abarque os demais”. Fonte: Denise Caputo – Agência CLDF

CONTATO
ANTENADOS@ANTENADOS.COM.BR

(61) 98649-0522